Quem sou eu

Minha foto
O Tatamirô Grupo de Poesia é um grupo amapaense de declamação de textos poéticos, sejam eles escritos na forma de prosa ou verso em suas múltiplas manifestações verbovocovisuais. Criado em Abril de 2009, o Grupo nasceu do desejo de dizer Poesia às pessoas. De colocar a voz a serviço da Poesia. De falar as coisas do mundo de forma diferente.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Grupo Imbuaça, um aprendizado e tanto


Terça-feira, fim de tarde, Parque do Forte – o céu estava lindo! Confessamos que passamos a olhar o céu de nossa terra com mais amorosidade, ainda mais se considerarmos o estado deplorável de nossas ruas. Pois bem, os tatamirôs, a postos, sentados ao redor da circunferência que marcava o picadeiro do Grupo Imbuaça de Sergipe que veio pelo Palco Giratório do SESC completar a paisagem - de fato, o cenário era duplamente panorâmico: a cenografia do grupo e a praça (local a ser explorado mais vezes pelo teatro de rua).


O espetáculo era O MUNDO TÁ VIRADO - que bom é virar o nosso mundo com poesia num dia de semana, depois do trabalho. O grupo brinca com a tradição da poesia popular, conta histórias curtas interpretadas com humor sobre o cotidiano astuto do povo.  Cantamos e dançamos e rimos e choramos embalados no cordão desses trovadores!


 
SERVIÇOS:
Espetáculo O MUNDO TÁ VIRADO
Dia: 9/8/11
Local; praça Parque do Forte
Hora: 17 h
Dia 10/8/11
Local: praça Raimundo Cavalcante – Porto Grande
Hora: 17 h
Oficina TEATRO DE RUA
Dia 11/8/11
Local: Teatro Porão/Sesc Araxá
Período: das 8 as 12 e das 14 as 18 horas
Valor 5,00



Dia 11 de agosto os tatamirôs Paulo Rocha e Missilene Cabral estavam na oficina do palco giratório ministrada pelo Grupo Imbuaça:

“Eu achei interessante e principalmente proveitosa a oficina de Teatro de Rua que fizemos com o Imbuaça, pois nos fez entender e valorizar mais a nossa identidade, sem fugir da essência e características do Teatro e da Literatura, mostrando a importância da preparação, seja para o teatro de rua, de palco, de boneco... Eu, particularmente, vi o quanto precisamos buscar, estudar, pesquisar, valorizar, participar mais dessas oficinas, desses encontros para a socialização das ideias e para sermos mais flexíveis à novas dinâmicas e maneiras de se fazer arte. Em respeito aos grandes mestres, devemos nos organizar e nos preparar todos os dias, sabendo que cada apresentação é um passo para nosso aperfeiçoamento.”
Missilene Cabral










                                               

Nenhum comentário:

Postar um comentário