Quem sou eu

Minha foto
O Tatamirô Grupo de Poesia é um grupo amapaense de declamação de textos poéticos, sejam eles escritos na forma de prosa ou verso em suas múltiplas manifestações verbovocovisuais. Criado em Abril de 2009, o Grupo nasceu do desejo de dizer Poesia às pessoas. De colocar a voz a serviço da Poesia. De falar as coisas do mundo de forma diferente.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Tatamirô brinda o Quebramar!

Vejam como é a vida: em 2010, lembramos bem que ao fazer o contorno no canal para estacionar, a Heluana Quintas (Coletivo Palafita – Mini Box Lunar) estava parada próximo ao portão que dá acesso à nossa casa e agora também à sede dos Tatapiuns, observando a montagem do palco do III Quebramar. Naquela época, não imaginávamos que uma parceria se efetivaria, que aceitaríamos o FEL e muito menos que abriríamos os shows do Festival Quebramar 2011.








Sem dúvida nenhuma foi nosso melhor Embriagai-vos. Pela primeira vez tivemos iluminação. Marina Beckman da CIA Super Nova de Teatro fez a luz, Paulo Rocha cuidou do visual do palco e do nosso, Pepeu do Coletivo Palafita harmonizou o som em conjunto com os técnicos do  Centro de Difusão Cultural Azevedo Picanço, sem falar na participação mais que especial da atriz Deyse França nos poemas-canções: “Ulisses revisitado” e “Vida breve, arte longa”.







O Festival Quebramar, especialmente nesta 4ª versão, que conjugou outras linguagens artísticas, fortaleceu-se ainda mais como instrumento de estímulo à criação local e de divulgação da produção independente/alternativa do Brasil e da América do Sul.


Violentango (ARG)


eh! meu velho Walt Whitman
vamos sair neste dia claro
vamos fumar um charo
nada faremos que não nos dê alegria

Beradella (RO)






como dizia  Montaingne
e sua filosofia
nada faremos que não nos dê alegria






Carol Conká (PR)

e aí?meu grande  Fernando Pessoa
vamos curtir a vida numa boa
sem desassossegos
pelo menos por um  dia


Teatro Mágico (SP)

beber vinho até perder os sentidos
e uivar pra lua – se houver lua –
como dois lobos esquisitos

O Amapá

e assim desta maneira
fazer  triunfar a poesia
contra as besteiras do dia-dia


Os que curtiram até o final


Eia! Eia!Eia! Eia!











Nenhum comentário:

Postar um comentário