Quem sou eu

Minha foto
O Tatamirô Grupo de Poesia é um grupo amapaense de declamação de textos poéticos, sejam eles escritos na forma de prosa ou verso em suas múltiplas manifestações verbovocovisuais. Criado em Abril de 2009, o Grupo nasceu do desejo de dizer Poesia às pessoas. De colocar a voz a serviço da Poesia. De falar as coisas do mundo de forma diferente.

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Jiddu Saldanha, Herbert Emanuel e Leo Lobos na contraluz!

Comemorando 10 anos de existência, o poema "Cidade à Contraluz" vira livro
alternativo depois de ser filmado com a participação da atriz Renata Andrade e
fotografia de Pedro Campos, com uma equipe formada pela escola de cinema
Darcy Ribeiro. Foto - Divulgação.
Escrito em 2007, como uma forma de homenagear a inesquecível diretora teatral Zeniude Pereira, conhecida como Niudes, o poema "Cidade à Contraluz" fecha o ano de 2017, completando seus 10 anos de existência. Foi escrito à quatro mãos, por Jiddu Saldanha e Herbert Emanuel e ganhou, no ano de seu décimo aniversário uma publicação alternativa pelo selo Camarada García. Com a edição esgotada, o livro passou a circular como um "nanico" adorado pelos fãs dos poetas, que já haviam lançado, em 2005, o raríssimo e festejado livro "Do Crepúsculo ao Outro Dia".
O Mistério por trás do livro "Cidade à Contraluz" já viveu de tudo, como uma tradução "pirata" que surgiu pela internet, por volta de 2009 e que, da mesma forma como apareceu, desapareceu. Uma briga entre os autores, Herbert e Jiddu por causa de um verso que ainda é um mistério se realmente aconteceu, só fez ampliar a "fofoca literária" em torno do material que, graças ao incentivo do poeta chileno Leo Lobos, que fez uma belíssima tradução autorizada por volta de 2011. 
Leo, conversou pessoalmente com  Jiddu Saldanha, quando este esteve em Santiago para uma temporada de espetáculos de mímica e, também, para receber o prêmio Yolanda Urtado, no Taller Siglo XX. Dois anos antes, em 2012, o poema virara um filme fotografado por Pedro Campos e toda uma equipe formada por estudantes da escola Darcy Ribeiro, no Rio de Janeiro com a atriz Renata Andrade. Em 2017, quando o filme era apresentado para a equipe do ConheCinema, em Cabo Frio, o cineclubista Rodrigo Cintra descobriu, no filme, um vulto que passava, misteriosamente pela tela, numa das cenas do filme.
Com o estímulos de amigos, fãs e empurrões daqui e dali, o livro acabou editado de forma alternativa. Mas isso só foi possível depois de uma longa conversa entre Jiddu e Herbert, quando este esteve em Cabo Frio, em 2015, para a primeira edição do "Poesia de Cena", evento lítero-teatral que acontece de dois em dois anos. Assim, entre tapas e beijos o poema "Cidade a Contraluz" ganhou sua edição no ano de seu décimo aniversário e hoje, constitui como material de extremo orgulho para os autores que já estão começando a sonhar com uma edição especial envolvendo encadernação de luxo com a o filme incluído no encarte. Será?


Nenhum comentário:

Postar um comentário